Mídias

segunda, 21 de dezembro de 2015

Mudas de enxerto

Há dois motivos para fazermos uso das mudas de enxerto. Primeiro por conta do solo que tem bactérias e fungos e somente o porta enxertos consegue resistir às pragas, o outro motivo é quando se quer produzir frutos com uma qualidade maior.

Em ambas as técnicas podemos ter semelhanças para realizar o cruzamento. É necessário fazer um cruzamento com duas plantas, que são o enxerto e o porta-enxerto. O enxerto geralmente é chamado de garfo ou cavalo que irá dar suporte dando água e os nutrientes necessários.

A principal vantagem desse método é que o porta-enxerto permite cultivos em regiões onde em condições normais não aconteceriam, seja por condições climáticas, seja pela presença de pragas e outros fatores que iriam impossibilitar a produção da árvore.

CURIOSIDADES

Técnica da borbulha nas mudas de enxerto são viáveis para mudas de laranja, tangerina, limão-cravo. Uma muda demora um mês para vingar.

Já a técnica do garfo é mais indicada para vinhedos e ortaliças como tomate.

A técnica de encostia serve para mudas de laranjeiras e mamoeiro e essas mudas levam cerca de 10 dias para vingar. Normalmente essa técnica é usada quando as demais.

A vantagem principal da enxertia é que “a produção inicia-se precocemente, visto que o enxerto é feito com plantas já em estado reprodutivo". Logo, assim que a adaptação de uma espécie a outra seja completa, em pouco tempo a nova planta irá produzir.

O que devemos esperar é que o ciclo de produção de plantas enxertadas é menor que as de “pé franco” (plantas que não foram enxertadas), eis aí mais um ponto a favor do bolso do produtor.