Correção e preparo do solo: entenda a importância

quinta, 28 de julho de 2016

 

 

O preparo do solo refere-se ao conjunto de operações que visam a elevação ou manutenção da produtividade de florestas e manejo de resíduos por meio de equipamentos adaptados às condições do solo.

Entre as vantagens dessa prática destaca-se a melhoria na qualidade produtiva devido à minimização de perdas por erosão e otimização da utilização dos recursos. Além disso, há a melhoria na relação custo/beneficio e a necessidade de respeitar as características do solo, evitando a sua degradação física, química e biológica.

 

ASPECTOS TÉCNICOS DO PREPARO DO SOLO

O preparo do solo pode ser usado como medida para definir as condições ideais para o crescimento de diferentes tipos de implementos. Confira alguns aspectos que devem ser analisados antes de começar o cultivo.

 

  • O preparo do solo é determinado de acordo com características do solo, clima, finalidade, plantas daninhas, impedimentos físicos e resíduos vegetais.

 

  • As características físicas dos solos podem limitar o crescimento e a produtividade devido à compactação gerada por máquinas que trafegam na área e causam a união de partículas primárias. Essa situação pode modificar a estrutura e os atributos do solo, afetando o crescimento e a distribuição das raízes, a absorção de água e de nutrientes e a capacidade de produção florestal.

 

  • O ambiente criado para o desenvolvimento da atividade rural é o que favorece a movimentação da água, além da reação e disponibilidade de nutrientes. Além desses elementos, a profundidade é uma variável muito importante, pois determina a energia, o tempo e os custos que cada operação vai demandar.

 

MÉTODOS PARA PREPARAÇÃO DO SOLO

Até a década de 1980, o método mais utilizado de preparo do solo em plantios florestais eram os arados e grades. Porém essa técnica tornava o solo suscetível à degradação. Diante do desenvolvimento de novas tecnologias e maior preocupação com a sustentabilidade, surgiram novas técnicas de preparo do solo.

Atualmente, o método mais utilizado é o subsolador, devido às suas vantagens operacionais e econômicas, além da difusão do cultivo mínimo. Entre os benefícios desse método estão o aumento da sobrevivência e o crescimento das mudas, propiciando o alcance das raízes a maiores profundidades, menor exposição do solo e redução de perdas por erosão.

 

CULTIVO MÍNIMO

- Características

O cultivo mínimo é um sistema comprometido com o ambiente, visto sua busca por realizar o preparo do solo através de um conjunto mínimo de operações. Suas ações resultam em menores impactos ambientais, técnicas mais adequadas ao desenvolvimento das plantas, baixos custos operacionais e maior sustentabilidade dos plantios.

Entre suas características mais relevantes está a manutenção da produção florestal, focando na conservação do solo graças à definição de indicadores físicos, químicos e biológicos e na racionalização dos recursos.

- Diferenciais

Esse método baseia-se na movimentação física do solo, dos resíduos orgânicos e dos tratos culturais das ervas daninhas, que são controladas com herbicidas em aplicações antes e depois do plantio.

- Elimina operações de aração e gradagem, queima de resíduos.

- Possui maior teor de fósforo, potássio, cálcio e magnésio no solo do que no cultivo com queimada.

- Libera os nutrientes de forma lenta e gradual, por meio da mineralização.

 

Agora que você conhece um pouco mais sobre a importância da conservação e preparo do solo, entre em contato com nossa equipe e tenha todo o suporte da Plante Roots no planejamento florestal de sua propriedade rural. Agende uma visita!