Entenda o que é a Integração lavoura-pecuária-floresta

terça, 17 de maio de 2016

A integração lavoura-pecuária-floresta é um sistema de produção que integra os componentes agrícola, pecuário e florestal em rotação, consórcio ou sucessão, na mesma área, com o objetivo de mudar a forma de uso da terra e atingir níveis mais elevados de qualidade do produto, qualidade ambiental e competitividade.

O cenário atual revela que nos últimos 30 anos o agronegócio brasileiro cresceu e se transformou de maneira significativa. Porém esse aumento é marcado pela necessidade de solucionar os problemas resultantes de décadas de práticas agrícolas de monocultivo e de elevada pressão sobre o ambiente, como a erosão, perda de fertilidade dos solos, poluição do solo e da água e emissões de gases de efeito estufa.

A pecuária de corte, que é comumente caracterizada como um segmento pouco produtivo, apresenta viabilidade econômica apenas através da expansão da área de pastagem. Entretanto, o modelo de produção da pecuária mudou sensivelmente e passou a priorizar tecnologias mais intensivas em capital, o que vem gerando ganhos expressivos em produtividade e liberando áreas significativas para outras atividades do agronegócio.

 

NOVO CENÁRIO

O sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, ou ILPF, pode ser aplicado em grandes, médias e pequenas propriedades rurais e tem sido adotado em todo o Brasil, especialmente nas regiões Centro-Oeste e Sul. Os sistemas são desenvolvidos de acordo com o perfil e os objetivos da propriedade rural, considerando as diferenças regionais do bioma e da fazenda, como: condições de clima, solo, infraestrutura, experiência do produtor e tecnologia disponível.

A estimativa é de que nos próximos 20 anos a ILPF seja adotada em mais de 20 milhões de hectares. A perspectiva representa a necessidade cada vez maior de desenvolver práticas e soluções que permitam incentivar o desenvolvimento socioeconômico e conservar os recursos naturais. Diante disso, a intensificação do uso da terra em áreas agrícolas e o aumento da eficiência dos sistemas de produção podem contribuir para harmonizar a relação entre a demanda crescente por alimentos, bioenergia e produtos florestais e a necessidade de diminuição do desmatamento e da emissão de gases de efeito estufa.

Assim, o sistema torna-se uma boa alternativa de produção para recuperação de áreas degradadas. Entre as vantagens da integração de árvores com pastagens e lavouras, a mais significativa é a possibilidade de que o solo seja explorado economicamente durante todo o ano, o que favorece o aumento na oferta de grãos, de carne e de leite a um custo mais baixo.

 

FUNÇÃO DOS ATORES E INSTITUIÇÕES

A integração de atores deve abordar a capacitação contínua de multiplicadores e a avaliação dos processos e atividades empregados na transferência de conhecimento e tecnologia, baseada nas demandas e considerações dos atores envolvidos.

As tecnologias e os conhecimentos necessários para a implantação dos sistemas de ILPF foram desenvolvidos, em sua maioria, pela Embrapa e por empresas, universidades e institutos de pesquisa estaduais que compõem o Sistema Nacional de Pesquisa Agropecuária.

A transferência de conhecimentos e tecnologias em sistemas produtivos complexos e interativos, a médio e longo prazo, requer abordagem abrangente e que considere as características de cada local. Com a participação de atores do setor produtivo, técnicos e pesquisadores, as metodologias devem ser guiadas pelo envolvimento e a participação desses atores.

ALGUNS BENEFÍCIOS TECNOLÓGICOS E ECOLÓGICOS DA ILPF

 

  • Melhoria dos atributos físicos, químicos e biológicos do solo devido ao aumento da matéria orgânica;
  • Redução de perdas de produtividade na ocorrência de veranicos, quando associado a práticas de correção da fertilidade do solo e ao sistema de plantio direto;
  • Maior eficiência na utilização de insumos e ampliação do balanço positivo de energia;
  • Promoção da biodiversidade, e favorecimento de novos nichos e habitats para os agentes polinizadores das culturas e inimigos naturais de insetos-pragas e doenças;
  • Melhoria da imagem pública dos agricultores perante a sociedade, atrelada à conscientização ambiental.

 

ALGUNS BENEFÍCIOS ECONÔMICOS E SOCIAIS DA ILPF

 

  • Incremento da produção anual de alimentos a menor custo e aumento da produção anual de fibras, biocombustíveis e biomassa;
  • Aumento da produtividade e da qualidade do leite e redução da sazonalidade de produção;
  • Possibilidade de novos arranjos de uso da terra, com possibilidade de exploração das especialidades e habilidades dos diferentes atores (arrendatários e proprietários);
  • Redução de riscos em razão de melhorias nas condições de produção e da diversificação de atividades comerciais;
  • Maiores vantagens comparativas na inserção das questões ambientais nas discussões e negociações da Organização Mundial do Comércio (OMC).

 

DICAS

Os sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta devem ser planejados levando em conta os diferentes aspectos socioeconômicos e ambientais das unidades de produção e a forma e intensidade da adoção do conjunto de tecnologias que compõem a ILPF dependerão dos objetivos e da infraestrutura disponível de cada produtor.

Dessa forma, é importante saber que um sistema sustentável deve ser:

  • Tecnicamente eficiente, considerando o ambiente e utilizando manejos e insumos adequados e de acordo com as recomendações oficiais;
  • Economicamente viável, com melhor utilização dos recursos e uso da terra, diversificação e maior estabilidade das receitas e diminuição dos riscos;
  • Socialmente aceitável, por ser aplicável a qualquer tamanho de propriedade, aumentar e distribuir melhor a renda no campo e aumentar a competitividade do agronegócio brasileiro;
  • Ambientalmente adequado, por aconselhar a utilização de práticas conservacionistas e de melhor uso da terra.

 

Se você se interessou pelo sistema ILPF, conte com a Plante Roots Reflorestadora. Saiba mais em nosso site ou pelos números 3598-0878 e 8266-1785.